O MAIOR ECOSSISTEMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DO BRASIL

Artmed

O MAIOR ECOSSISTEMA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE DO BRASIL

Artmed
  • Home
  • Conteúdos
  • Posicionamento do paciente: orientações e cuidados da enfermagem

Posicionamento do paciente: orientações e cuidados da enfermagem

Um dos aspectos pouco valorizados quando se fala em cuidados de enfermagem é o posicionamento correto dos pacientes no leito, seja para recuperação ou cirurgias.

O posicionamento do paciente não influencia apenas em seu conforto, mas também em sua resposta clínica, desde a melhoria da oxigenação até a prevenção de complicações como escaras.

Neste artigo, falaremos mais sobre a importância do posicionamento do paciente e apresentaremos os principais tipos de posições.

Posições de decúbito e suas funções

Decúbito dorsal

O decúbito dorsal, frequentemente referido como posição supina, posiciona o paciente deitado de costas. Essa posição é fundamental em muitos aspectos do cuidado ao paciente, incluindo procedimentos como a intubação, exames de imagem do abdômen e cirurgias cardíacas.

É a mais comum devido à sua capacidade de proporcionar estabilidade e conforto, considerando que as costas e membros do paciente ficam em repouso durante o procedimento, Além disso, a cabeça fica levemente elevada, facilitando o acesso às várias regiões do corpo, especialmente para monitoramento e tratamento.

Decúbito ventral

O decúbito ventral, ou posição prona, coloca o paciente deitado de barriga para baixo. Essa posição é particularmente benéfica para pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo, pois ajuda na melhoria da oxigenação e na redução da pressão sobre o tórax. É também utilizada em cirurgias que necessitam de acesso à coluna vertebral e nas costas.

Conhecida também por posição prona ou bruços, requer que a cabeça do paciente seja comumente voltada para um dos lados, sendo necessário contar com apoios e travesseiros para diminuir o desconforto causado pela posição. Assim, é possível atingir o objetivo do procedimento e manter o bem-estar do paciente.

Posição de Fowler

A posição Fowler é constituída pela elevação da cabeceira da maca em um ângulo que pode variar entre 45° a 60°, colocando o paciente em uma posição semi-sentada. Esta posição é amplamente utilizada para pacientes com dificuldades respiratórias, pois facilita a respiração e reduz a pressão sobre o diafragma, já que afasta os órgãos que o pressionam.

É também útil para alimentação de pacientes e para prevenir aspiração, sendo uma escolha comum no pós-operatório de cirurgias abdominais e torácicas.

Decúbito lateral (esquerdo ou direito)

Nesta posição de decúbito, coloca-se o paciente deitado sobre a lateral esquerda ou direita do corpo, com a perna que está do lado de cima levemente flexionada. Este procedimento, é ideal para facilitar a coleta de exames e aumentar o conforto do paciente, aliviando a pressão nas costas e amenizando o surgimento de escaras nessa região. É comumente prescrita alternado-se os lados, a fim de evitar pressão nas extremidades.

Posição de Sims

A posição de Sims é uma variação sutil do decúbito lateral, explicado acima. Neste procedimento, o paciente é posicionado horizontalmente e de lado. Porém, a perna que está do lado de cima é
separada e flexionada.

A equipe consegue ter acesso rápido e fácil ao sistema excretor e digestivo, facilitando a coleta para exames e de procedimentos cirúrgicos. Além disso, processo de decúbito de Sims oferece agilidade e praticidade, dependendo do quadro clínico do paciente, além de proporcionar conforto.

Posição de Trendelenburg

A posição de Trendelenburg é caracterizada por inclinar a cama de forma que os pés do paciente fiquem mais elevados que a cabeça. O corpo do paciente é posicionado em decúbito dorsal, com uma leve inclinação, na posição transversal, com os membros inferiores mais elevados que os superiores.

Essa posição mantem as alças intestinais na parte superior da cavidade abdominal. É uma oosição utilizada para cirurgias de órgãos pélvicos e laparotomia de abdome inferior. Ela recebe esse nome em homenagem ao cirurgião alemão Friedrich Trendelenburg (1844-1924), que a descreveu.

Este posicionamento é usado em várias situações clínicas, incluindo:

  • Cirurgia abdominal
    , especialmente cirurgias de cólon, bexiga e órgãos pélvicos;
  • Cirurgia ginecológica
    , como em histerectomias e procedimentos para tratar doenças pélvica;
  • Laparoscopias
    ;
  • Intervenções vasculares
    .

Quanto às cirurgias abdominais, ginecológicas e laparoscópicas, o benefício é o mesmo:
expor o sítio cirúrgico
, afastando os órgãos abdominais e permitindo uma melhor visualização e introdução de instrumentais cirúrgicos.

Com relação às intervenções vasculares, o benefício dessa posição se pauta em
ajudar na circulação sanguínea
durante a cirurgia, especialmente em casos de cirurgia vascular abdominal.

Também usada para reverter hipotensão em pacientes não idosos (em pacientes idosos recomenda-se apenas elevação dos membros inferiores, com cabeça na altura do tronco). Um dos seus principais benefícios, no entanto, é o seu uso para estimular a perfusão sanguínea em pacientes com problemas respiratórios.

Cada uma dessas posições de decúbito traz benefícios específicos e é escolhida com base nas necessidades clínicas individuais do paciente.

O entendimento profundo dessas posições e sua aplicação correta são cruciais para garantir a segurança e o bem-estar dos pacientes, reafirmando a importância da habilidade e conhecimento na prática da enfermagem.